A Perspectiva de Deus para o Ser Humano

Pr. Marvin Byers

Há algumas perguntas que nunca devem ser feitas. Por exemplo, Salomão escreveu:

"Nunca digas: Por que foram os dias passados melhores do que estes? Porque não provém da sabedoria esta pergunta." (Eclesiastes 7:10)

 

Muitos estudiosos da Palavra de Deus tem perguntado: "Já que Deus conhecia o futuro antes de criar o homem, sabendo que ele cairia nos pecados mais nefastos e em todas as abominações inimagináveis, por que Ele prosseguiu e o criou"? Esta é uma pergunta que nunca deve ser feita.

 

A pergunta que devemos nos fazer é: "Já que Deus conhecia o futuro antes de criar o homem, mesmo sabendo que ele cairia nos pecados mais vis e em todas as abominações inimagináveis, e sabia que a única resposta para a queda do homem seria morrer em seu lugar, por que Ele prosseguiu e o criou? Ao longo da Bíblia encontramos a resposta a esta pergunta. A resposta é uma só palavra: amor!

 

Deus amava tanto o mundo que estava disposto a se entregar para redimi-lo. O amou de tal maneira que Ele se dispôs a criar o homem, sabendo que a salvação de Sua criatura custaria Sua própria vida. Isso foi o que o Criador afirmou quando Ele disse: "Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos." (João 15:13)

Referindo-se aos sofrimentos de Cristo na cruz, Isaías escreveu: "Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito." (Isaías 53:11)

 

Antes que o Salvador criasse este mundo, Ele podia prever não apenas Sua própria aflição, mas "o fruto da aflição de Sua alma".

 

Por causa de Seu amor por Sua esposa eterna, a Igreja, Ele tomou a decisão de ir à cruz desde antes da fundação deste mundo, sabendo muito bem o que isso Lhe custaria. Por causa de Seu amor pelo homem, o Criador tomou a decisão de ser o "Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo". (Apocalipse 13:8)

 

Cristo teve uma visão desde o início do mundo; Ele pôde ver o fruto de Sua aflição, e encontrou satisfação no que viu. O fruto do trabalho na cruz será uma inumerável companhia de santos que viverão para sempre diante da presença do Rei, em uma relação íntima de amor que ultrapassa a compreensão humana.

 

É claro que alguns homens se recusam a fazer parte da visão e do plano do Senhor para a humanidade. Eles rejeitam o dom gratuito de salvação do Senhor e Sua obra de amor infinito realizada na cruz para todos os homens.

Oficina de Cerâmica
Campo de trigo

Apesar da decisão eternamente trágica dos seres humanos contra seu Criador, eles ainda são seres criados e, como tais, propriedade do Criador. Inclusive eles serão usados por Deus para alguma coisa, pois, Ele usa cada pessoa que Ele criou. No entanto, como diz Paulo, em cada casa há vasos para honra e outros para desonra (2 Timóteo 2:20).

 

Alguns dos utensílios domésticos trazem grande alegria, como a cerâmica da China. Outros utensílios são usados para limpar a casa, até mesmo para carregar o lixo. Estes últimos são tão vis que muitas vezes evitamos até mesmo tocá-los.

 

Para o bem ou para o mal, Deus usará todo ser humano. A Bíblia diz que até Faraó foi usado por Deus para que Seu poder e julgamento fossem revelados, e Seu nome fosse proclamado em toda a Terra (Rm. 9:17). Até mesmo os ateus que negam a Deus entenderão um dia que eles foram usados por seu Criador como vasos de desonra.


Felizmente, no início Deus não se arrependeu de ter criado o homem prevendo que muitos escolheriam o pecado e a condenação eterna. Seu amor e perspectiva para colher um povo piedoso era simplesmente grande demais para permitir que o eventual aparecimento de "ervas daninhas" em seu campo se tornasse uma razão válida para não criar os justos! Que agricultor se absteria de plantar em seu campo simplesmente para não ter que lidar com ervas daninhas?

A visão e o plano de Cristo para a colheita inclui o Corpo de Cristo como um todo, mas também inclui cada indivíduo que pertence a esse Corpo. Ele tem um plano específico para cada um como um indivíduo. O plano de Cristo inclui cada crente individualmente. Ele tem um plano perfeito e glorioso para cada vida.

 

Deus disse a Moisés: "Eis aqui um lugar junto a mim; aqui te porás sobre a penha." (Êx 33:21). Se alguém está sobre a penha, que é Cristo, então há também um lugar reservado ao lado d'Ele. Seu amor por cada grão individual de trigo em Sua colheita encontra-se em Amós 9:9: "Porque eis que darei ordem, e sacudirei a casa de Israel entre todas as nações, assim como se sacode grão no crivo, sem que caia na terra um só grão".

 

Cada crente individual não é apenas comparado ao trigo, mas também é chamado de "pedra viva" (1 Pe. 2:5). Agora, nem todas as pedras são utilizadas da mesma maneira, nem no mesmo lugar em um edifício. Algumas são visíveis e outras não; algumas são mais importantes do que outras.

A descrição que o Senhor dá do julgamento em Lucas 19:12-27, um servo é colocado em dez cidades, enquanto outro é colocado em cinco cidades. Falando do que seremos na ressurreição, Paulo explica assim: "Uma é a glória do sol, e outra a glória da lua, e outra a glória das estrelas; porque uma estrela difere em glória de outra estrela" (1 Co. 15,41). No contexto da ressurreição, Daniel 12:2,3 compara os santos do Senhor a estrelas. Nem todos os santos terão o mesmo nível de glória na ressurreição.

 

Da mesma forma, Deus tem uma visão específica para cada um de Seus filhos. Cada um deles foi criado para cumprir um propósito específico na casa eterna de Deus.

 

Ele sabe exatamente o que faz cada pessoa se sentir totalmente realizada, satisfeita, agradecida e cheia de alegria para sempre. É triste que algumas pessoas rejeitem o que Deus escolhe para elas nesta vida atual e busquem uma posição ou ministério diferente no Corpo de Cristo do que o que o Senhor escolheu para elas. Muitos não entendem que uma cavilha redonda nunca será confortável em um buraco quadrado, e que tal cavilha nunca poderá cumprir o propósito para o qual foi criada.

 

O tipo específico de recipiente que Deus faz de cada um de nós é o único tipo de recipiente que pode cumprir perfeitamente Sua visão e plano para sua vida. Como poderia ser de outra forma com um Criador Onisciente? Toda minha vida física e espiritual foi feita para ocupar um lugar em Seu templo eterno. Eu mesmo estarei eternamente cheio de alegria se atinjo o objetivo que Ele determinou para minha vida, não o objetivo que Ele determinou para a vida de outra pessoa.

Nascer do sol sobre o campo de trigo
Castelo de galheteiro

Em termos mais práticos, qual é exatamente a perspectiva do Senhor para cada homem que é redimido? Para que Ele está nos chamando? Encontramos a resposta no início e no final da Bíblia. Em Êxodo 19:6, Deus disse a Seu povo: "E vós me sereis um reino sacerdotal e o povo santo". Depois, em Apocalipse 5:10, os anciãos declaram ao Senhor: "E para o nosso Deus nos fizeste reis e sacerdotes; e reinaremos sobre a terra".

Por muitos anos vivi com uma ideia que talvez vocês também tenham tido. Eu acreditava que se recebêssemos a graça de Deus para sermos servos mansos e humildes nesta vida, negando-nos a nós mesmos, carregando a cruz e permitindo que os outros ocupassem o primeiro lugar, nos seria permitido reinar com o Senhor para sempre. É claro, a ideia era que então seríamos servidos eternamente!

 

Um dia uma revelação surgiu em meu coração como uma luz que de repente se acende, enquanto lia as palavras de Jesus: "Quem me vê, vê o Pai!" (Jo. 14:9). Durante vários anos, os discípulos tinham visto Jesus viver uma vida como um servo manso e humilde. Ele lhes disse que tinha vindo para servir, não para ser servido (Mt. 20:28). Ele também os convidou a fazer diariamente o que Ele estava fazendo: negando-se e carregando Sua cruz (Mt. 16:24).

 

Cristo se entregou continuamente pelos outros, fazendo o que era melhor para os outros em vez de procurar fazer o que era melhor para si mesmo. Esta é a essência do que Jesus disse a seus discípulos no final de sua vida: "Se vocês me viram, vocês viram o Pai". A vida que vocês me viram revelar neste mundo é uma revelação de como é o Pai. Como um Pai, Ele se dá continuamente pelos outros; Ele serve Seus filhos, e pensa apenas no que é melhor para eles. O Pai sempre foi assim, e Ele sempre será assim por toda a eternidade. É claro que a maioria dos pais naturais faz o mesmo para seus filhos, porque esse é o coração de todo pai verdadeiro.

Enquanto lia estas palavras, percebi que sendo um servo, Jesus não estava tentando nos dizer que devemos viver muito espiritualmente neste mundo durante 70 anos para nos tornarmos alguém importante na eternidade. Cristo não estava tentando nos mostrar que o preço que devemos pagar para sermos servidos eternamente é servir alguns anos em nossa vida terrena.

Pelo contrário, Ele estava mostrando que esta vida é apenas um campo de treinamento; é um tempo de preparação. Se escolhemos nesta vida o mesmo caminho que Cristo escolheu, aprenderemos a viver como vive o Pai. Nossa preocupação contínua deve ser para aqueles que nos rodeiam, e não para nós mesmos. Não devemos exigir nossos direitos ou fazer o que nos parece melhor para nós mesmos.

Certamente os anciãos que estiveram diante do rei Salomão durante 40 anos, ouvindo dia após dia a sabedoria que vinha de sua boca, compreenderam a visão de Deus para os verdadeiros reis, ou seja, a perspectiva para cada ser humano. Como o próprio Salomão declarou em Provérbios, grande parte de sua sabedoria veio de seu pai, Davi, um homem conforme o coração de Deus.

Após a morte de Salomão, os anciãos disseram a Roboão, filho de Salomão: Se o senhor estiver disposto a servir este povo hoje e lhe der uma resposta favorável, eles serão seus súditos leais para sempre” (1 Reis 12:7). Infelizmente, os jovens aconselharam a Roboão a ser um rei duro, exigente e autoindulgente. Por seguir esse conselho tolo, Roboão perdeu a maior parte de seu reino.

Jesus deixa Seu plano bem claro em Mateus 20:25-27: Então Jesus, chamando-os para junto de si, disse: Bem sabeis que pelos príncipes dos gentios são estes dominados, e que os grandes exercem autoridade sobre eles. Não será assim entre vós; mas todo aquele que quiser entre vós fazer-se grande seja vosso serviçal; E, qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, seja vosso servo."

Nada poderia ser mais claro: "Não será assim entre vós". Ninguém foi chamado nesta vida para exercer autoridade sobre os outros. Todos nós fomos chamados para sermos servidores. Aqueles que se tornarem os maiores servos nesta Terra serão reis no céu por serem conformados à semelhança do Rei dos reis. Os súditos de tais reis se submeterão a eles de todo o coração devido ao amor e cuidado que lhes mostrarão, não pela autoridade poderosa que exercem.

Alguns podem chegar à trágica conclusão de que se ser um rei para sempre significa ser um servo altruísta para outros, então eles prefeririam não ser reis. No entanto, há tremendas vantagens em ser um servo-rei que reina com Cristo. Certamente, a maior bênção é que os reis e sacerdotes do Senhor estarão em Sua presença, e estarão próximos a Ele eternamente.

Além disso, Seus reis serão aqueles que foram conformados à Sua imagem e semelhança. Até Cristo hoje é um Servo-Rei!

throne-g4c115d4a1_1920.png
Image by Zac Durant

O Rei Jesus procura reis que sejam servos desinteressados. Através de anos de experiência, a humanidade já conhece a outra opção: ser governados por reis exigentes e egocêntricos que pensam principalmente no que é melhor para si próprio.

 

Esta tem sido a característica do governo humano por mais de 6.000 anos! Será que desejamos ter este tipo de reino eternamente no céu?

 

Em toda a Bíblia deixa claro que a perspectiva de Deus é que os homens se tornem reis e sacerdotes em Seu Reino Eterno. Naturalmente, esses reis e sacerdotes farão parte de Sua esposa que reinará com Ele, unida a Ele em um relacionamento íntimo de amor.

 

Como Jesus é nosso Rei e nosso Sumo Sacerdote, Ele simplesmente quer que sejamos como Ele. Desde a Criação, sua perspectiva tem sido nos conformar com Sua imagem e replicar em nós Sua vida dedicada a amar e servir aos outros.

 

Como o céu será maravilhoso! Será governado por pessoas que revelam a própria vida de Cristo; serão pessoas que foram libertadas da estreiteza do amor próprio para viver na gloriosa liberdade do amor altruísta.

 

Quão corretamente Jesus nos ordena que busquemos primeiro o Reino de Deus. Somos chamados a ser servos nesta Terra, assim como Ele viveu servindo aos outros, sempre buscando o lugar mais baixo em vez do mais alto. Só assim governaremos e reinaremos com Ele eternamente!